Tel.: +55 (35) 3421.2186

Perguntas Frequentes

Córnea

O que é a córnea?

A córnea é um tecido transparente situado na parte anterior do olho (na superfície do olho – a primeira interface que a luz atravessa). É uma lente natural e transparente que está na frente da íris (a parte colorida do olho) e da pupila. Se a córnea opacificar (embaçar) – por enfermidades hereditárias, lesões, infecções, queimaduras por substâncias químicas, enfermidades congênitas ou outras causas –, a pessoa pode perder ou ter a visão bastante reduzida.

Doação de Corneas

Por que ser um doador?

Milhares de pessoas, anualmente, têm a chance de recuperar a visão com a realização de um transplante de córnea. A taxa de sucesso dessa cirurgia ultrapassa 95%. E não apenas a córnea é usada para fins cirúrgicos: a esclera (a parte branca dos olhos) também é utilizada em cirurgias para o tratamento de doenças oculares. Um único doador pode beneficiar até 10 pessoas.

Qualquer pessoa pode ser doadora de tecidos oculares?

Sim. Independentemente da idade e do uso de correção visual (óculos ou lentes de contato), ou de alguma possível doença, qualquer pessoa pode ser doadora de tecidos oculares. Os erros/vícios de refração (como miopia, hipermetropia, astigmatismo...) e outros distúrbios visuais (como catarata, glaucoma...) não impedem a doação. Se houver algum impedimento para a doação, a equipe do Banco de Olhos estará preparada para orientar os familiares.

Mesmo que a pessoa não tenha manifestado o desejo de doar, a família pode entrar em contato com o Banco de Olhos?

Sim. A família é a única responsável pela efetivação de uma doação, pois a retirada dos tecidos oculares só pode ser feita com a autorização, por escrito, da família.

Como posso manifestar o desejo de, algum dia, vir a ser doador?

O importante é conversar com os familiares e mantê-los cientes do desejo de vir a ser um doador, pois a doação só pode acontecer após a autorização, por escrito, da família. Para conscientizá-los, você pode solicitar ao Banco de Olhos da sua região um cartão de doação ou um folheto informativo.

A retirada dos tecidos oculares provoca alguma deformidade no doador?

Não. A doação não modifica a aparência do doador. Os tecidos oculares são retirados de acordo com técnica cirúrgica que não deixa vestígios.

Até quanto tempo após o óbito os tecidos oculares podem ser retirados?

O ideal é que os tecidos oculares doados sejam retirados até 06 (seis) horas após o falecimento. Por isso, o Banco de Olhos deve ser avisado rapidamente. Mas vários fatores podem contribuir para que esse prazo seja maior (até 12 horas, no Brasil).

Após o óbito, existe algum cuidado que deva ser tomado para que as córneas não sejam danificadas?

Sim. Manter as pálpebras fechadas e, se possível, colocar gelo sobre os olhos (tomando cuidado para que as pálpebras estejam, sempre, bem fechadas e para que o gelo não provoque um peso excessivo sobre os olhos).

Se alguém quiser, em vida, doar uma córnea para um familiar inscrito na lista de espera para transplante de córnea, poderá?

Não. No caso da doação de córnea, esse tipo de procedimento não é realizado e, portanto, não é permitido por lei. Não existe esta possibilidade.

Se a família quiser autorizar a doação para que a córnea seja transplantada em alguém da própria família ou em algum amigo da família, é possível?

Não. A doação é um ato humanitário. Portanto, o ato de doação é incompatível com qualquer condição que possa vir a ser proposta para a concretização da doação. A distribuição dos tecidos oculares doados é controlada pelos órgãos governamentais e é feita respeitando a ordem de inscrição do paciente na lista de espera.

Se os familiares do doador quiserem conhecer os receptores dos tecidos oculares doados ou se os pacientes receptores destes tecidos quiserem obter informações sobre o doador ou sobre os familiares que autorizaram a doação, poderão?

Não. De acordo com a legislação e com o "Código de Ética dos Bancos de Olhos", todas as informações sobre os doadores e sobre os receptores de tecidos oculares doados são sigilosas, devendo os Bancos de Olhos manter todos os registros em caráter confidencial. Nem mesmo o médico que realiza a cirurgia tem acesso à identidade do doador, pois os tecidos oculares e as informações sobre estes tecidos são identificados por códigos.

Qual é o custo da doação para os familiares do doador?

Nenhum. A família do doador não paga nada e tampouco recebe qualquer pagamento pela doação.

Existem objeções religiosas com relação à doação?

Não. As diferentes religiões aprovam a doação como um ato humanitário.

Bancos de Olhos

O que são os Bancos de Olhos?

Os Bancos de Olhos são instituições responsáveis pela retirada, transporte, avaliação, classificação, preservação, armazenamento e disponibilização dos tecidos oculares doados.

Por que os procedimentos de processamento dos tecidos oculares doados devem ser executados pela equipe do Banco de Olhos?

Para garantir que os procedimentos de processamento dos tecidos oculares doados sejam feitos de maneira ética, com segurança e qualidade, por profissionais capacitados, de acordo com as "Normas Médicas Internacionais" para este tipo de atividade e com a legislação em vigor.

Transplante de Córnea

O que é o transplante de córnea?

Os transplantes permitem que pessoas com alguma deficiência visual por problemas da córnea recuperem a visão. Durante o transplante de córnea, uma porção da córnea doente do paciente é trocada por outra porção de uma córnea saudável de um doador. Esta cirurgia permite a recuperação da visão em mais de 95% dos casos.

O olho, como um todo, pode ser transplantado?

Não. Somente alguns tecidos oculares – como a córnea, a esclera (a parte branco do olho) e células-tronco da córnea – podem ser utilizados para fins terapêuticos.

É seguro para o paciente receber um tecido ocular doado? Existe a possibilidade de transmissão de alguma doença?

Os Bancos de Olhos tomam todos os cuidados para garantir a qualidade dos tecidos oculares doados, visando, principalmente, à segurança dos pacientes que irão recebê-los. Existem normas, internacionais e nacionais, para o funcionamento dos Bancos de Olhos, que estabelecem rigorosos critérios para garantir a qualidade dos tecidos oculares doados. Por isso, é fundamental que todas as etapas do processamento dos tecidos oculares doados, desde a retirada, sejam executadas pelas equipes dos Bancos de Olhos.

Fila de Espera para Transplante de Córnea

Como são utilizados os tecidos oculares doados?

Os tecidos oculares doados são utilizados para fins terapêuticos (de recuperação dos pacientes inscritos em lista de espera). A córnea, a esclera (a parte branca do olho) e as células-tronco da córnea podem ser utilizadas com finalidade terapêutica. Cada doador pode beneficiar vários pacientes, se, além das córneas, a esclera e as células-tronco forem utilizadas (o que é rotina nos Bancos de Olhos). Os tecidos que, por algum motivo, não puderem ser utilizados em cirurgias, serão utilizados em pesquisas (aprovadas por Comissão de Ética) ou ensino. Os tecidos oculares doados jamais são desprezados. Todos têm uma finalidade.

Como são distribuídas as córneas?

Obedecendo à legislação e ao "Código de Ética dos Bancos de Olhos", a distribuição das córneas é feita com total respeito à ordem de inscrição dos pacientes na lista de espera. No Brasil, o controle das listas de espera (Estaduais/Regionais) é feito pelas Centrais Estaduais de Transplantes (Centrais de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos - CNCDO) – órgãos das Secretarias Estaduais da Saúde –, e pelo Sistema Nacional de Transplantes, SNT, do Ministério da Saúde.

Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade